ENSAIOS </head> <body>

♥ Ensaios ♥
       'Quantos gritos cabem dentro de um silêncio?'
FOLLOW | DASHBOARD
entries
about
chat
template made by Lila
Edit made by Mari
Ensaiando sobre Mari e Júlia.
<> domingo, 9 de março de 2014 // 13:08


   "Antes de começar a minha própria apresentação, propus começarmos um desafio: eu escreveria sobre Júlia, e Júlia desenvolveria sobre mim. Cada qual descrevendo a amiga sob seu ponto de vista, sendo quase que imparcial..." (Mari) 



 Mari, sobre Júlia 

   Eu e Júlia nos conhecemos em meados de 2008, na escola de dança que costumávamos frequentar, porém, nossa amizade deslanchou mesmo quando ela se mudou pra Florianópolis, lá por... 2012 (?) É, dizem que a distância pode aproximar as pessoas, e eu assino em baixo. 
    Júlia não é uma garota como as outras, longe disso. Ela sempre foi decidida e com uma personalidade forte, apesar de romântica é também feminista e (meio?) liberal. Suas idéias podem as vezes parecer contraditórias (mas apenas parecem), pois elas se sobrepõem e se perpendicularizam de um jeito que só ela sabe consolidar, e no final Júlia faz tudo ter um sentido. Talvez tenha ficado confuso, mas é assim mesmo que tenho de descrevê-la, esse misto de confusão com determinação. Feminista (não feminazi) até a morte, ela detesta reticências (...) e creio que seja por isso que eu tenha economizado no uso delas durante essa breve descrição.
    Júlia tem o dom de persuasão, sabe muito bem como impor suas idéias. Faz jus ao beiramarávamos na sua amada Ilha da Magia e com ela é oito ou oitenta. É daquele tipo de pessoa que sempre tem algo novo pra contar, e nunca lhe falta assunto. Debate?Com ela mesmo! E de jeito nenhum a subestime. Só a conhecendo muito bem que conseguirias entender pelo menos um lado das suas mil e uma nuances. Digo que nunca vou conhecê-la por inteiro, e talvez nem ela mesma saiba, mas do lado certo ou do avesso, sei que é uma pessoa apaixonante.



Júlia, sobre Mari

   A Mari poderia ser uma daquelas personagens de um livro incrível. Queria eu um dia criar uma personagem tão boa quanto ela. Nada de histórias circulares, previsíveis. Cada camada dela é uma descoberta. Uma nova supresa.
     As partes que a compõem se sobrepõem e fazem surgir seus talentos, como desenhista, bailarina, como minha maquiadora preferida, fotógrafa e seu talento principal, de ser humana. Seu idealismo surge em pontadas, como uma boa defensora dos animais, é também vegetariana.
    Se eu dissesse que ela é simplesmente inteligente estaria a subestimando. Mari é quase um adjetivo, de tão Mari que a Mari é.




<